A gente quer te apresentar o Luís!

Será mesmo que o ano de 2020 foi um ano de todo perdido?

E quando falamos de educação, o que será que ele nos ensinou?


Podemos pensar que talvez as escolas não tenham conseguido cumprir com todos os conteúdos que estavam programados lá em janeiro, aquele mês que parece ter sido há um século. Mas o que a gente aprendeu?

A gente aprende o tempo todo, desde quando nascemos, desde nosso primeiro olhar ao que está ao redor. Aprendemos enquanto crescemos, aprendemos a falar depois de tão pouco tempo neste mundo, enfim, aprendemos que enquanto aprendemos, estamos bem.


Nesse sentido, 2020 foi precioso. Aprendemos tanto. Aprendemos a solucionar tantos problemas, a lidar com tantos medos. Aprendemos o valor do estar juntos, do abraço, do espaço compartilhado. Aprendemos que a distância social paralisou nossos planos de oficinas presenciais, mas que nos aproximou como equipe, que precisamos continuar tentando, testando, criando e colocando sonhos na rua.


Foi assim que o Luis entrou nesta história.

Lá em março ele estava conosco nos pouquíssimos encontros presenciais no Mirante Cultural. Demonstrando essa vontade gigante por aprender, se matriculou nos dois, dos três cursos, que estávamos iniciando: Inventar e Brincar e o Curta esse Circuito.

Na primeira oficina, construímos um um crachá criativo e, assim, soubemos que sua família era do Equador. Até conversamos um pouco em espanhol, pois, uma de nossas educadoras é do Uruguai!


A pandemia que estava lá longe chegou aqui e sacudiu nossos planos.

O que fazer para mantermos esse vínculo ainda tão inicial? De que maneira poderíamos continuar a interagir e a proporcionar oportunidades de aprendizagem significativas? Não queríamos gerar mais tarefas à distância para os participantes, mas sim criar situações para viverem bons momentos em família.


Encontramos um caminho com cadernos de propostas de atividades acompanhados de materiais essenciais, entregues pelo educador Carteiro Catalisador, em cada casa, em sete momentos, de abril a dezembro. Uma dessas casas era a do Luis, além de outras 50 no seu bairro. A gente queria que o Luis encontrasse seu próprio caminho para continuar aprendendo, se sentindo curioso, descobrindo novas habilidades e usando as que já tinha em novos contextos.


Enquanto experimentava as propostas do Inventar e Brincar, o Luis e sua irmã, Emily, criaram jogos e brinquedos utilizando materiais do cotidiano, se divertiram com propostas novas, que colocaram toda sua criatividade para brilhar, além de estreitarem ainda mais essa parceria de irmãos.



Com o Curta esse Circuito, ele explorou o mundo da energia e dos circuitos elétricos, entendendo como isso existe no dia a dia e quais são os materiais que conduzem energia. Para isso, Luis construiu um Testador de Continuidade.


Juntos, mesmo que à distância, Luis e seus colegas do curso, foram capazes de olhar ao seu redor com cuidado e descobrir um monte de coisas interessantes que não tinham reparado antes - e claro, nós íamos descobrindo tudo isso com eles. Esse novo olhar possibilitou a reflexão de que tudo ao nosso redor foi imaginado e construído por alguém e que, assim, podemos pensar em inventar ou mudar o existente também.


A mãe do Luis, a Jomara, nos contou que estava muito feliz, porque antes “ele pegava muito o celular para ele assistir vídeo, essas coisas, e agora ele esqueceu porque ele tem muitas ideias para fazer os trabalhos”. Depoimento de Jomara, mãe do Luis, setembro de 2020.


Quando a gente recebeu um vídeo do Luis, com um sorrisão no rosto, brincando com sua criação, chamada de Testa Nervos, entendemos que sim, a gente conseguiu. Inventamos um projeto, baseado em parceria, paixão e pensar brincando. Luis, por sua vez, embarcou nesse projeto, fazendo uma parceria com a gente, com sua família, mobilizando sua paixão por aprender e ao pensar brincando ele construiu um monte de coisas. Luis aprendeu, se manteve curioso e confiante no seu caminho de aprendente.




Pra gente, o Luis resume o ano de 2020,


Que 2021 traga mais sorrisos como o do Luis para todos nós!




11 visualizações0 comentário