Catalisador traduz Rotinas de Pensamento do Agency by Design - Project Zero - Harvard

Atualizado: 29 de Abr de 2019

Entusiasmadas pelo impacto que estavam vivenciando com a implementação das Rotinas de Pensamento do Agency by Design, o Instituto Catalisador fez parceria com os pesquisadores da Faculdade de Educação de Harvard para traduzirem o material e torná-lo acessível para para mais educadores brasileiros.


Desafio: tornar o aprendizado mão na massa visível!

Nós, do Instituto Catalisador, ficamos interessadas pelas pesquisas do Project Zero, uma iniciativa da Faculdade de Educação de Harvard, quando sentimos a necessidade de explicitar, tanto para os alunos quanto para os professores, o aprendizado que acontecia durante as nossas propostas mão na massa. Desde os primeiros projetos do Instituto Catalisador, vislumbramos nas propostas “mão na massa” uma forma de proporcionar percursos de criação significativos que incluem além de construções, processos de pesquisa e de investigação, espaço para reflexão, para expressão pessoal, para autoria. Faltava-nos, no entanto, conseguir proporcionar aos alunos oportunidades para que pudessem apropriar-se de todas essas vivências como sendo situações de aprendizagem. “Parece divertido, mas eles estão aprendendo?” pergunta articulada no título de um artigo escrito por Petrich, Wilkinson e Bevan, do The Tinkering Studio, ressoava sempre que compartilhavamos com outros educadores relatos e registros das atividades que havíamos realizado.


Descobrindo o Project Zero


Foi buscando estratégias para dar visibilidade à aprendizagem que sabíamos que estava acontecendo nas ações catalisadoras que encontramos as estruturas e ferramentas pedagógicas desenvolvidas pelo Project Zero. O Project Zero (PZ) foi fundado em 1967, na Faculdade de Educação de Harvard, com o intuito de investigar como acontecia o aprendizado em Artes e através das Artes. Ao longo dos anos, o Project Zero manteve uma forte agenda de pesquisa neste campo artes enquanto se expandia gradualmente para incluir outras áreas de pesquisa relacionadas ao pensamento e à aprendizagem.


O foco de investigação do Agency by Design


Em 2012, com o aproximação entre o Movimento Maker e a área da Educação, formou-se no PZ uma novo projeto, com uma nova iniciativa, chamada Agency by Design. Com a atual ênfase na interdisciplinaridade, criatividade e múltiplos modos de aprendizagem, o Movimento Maker apresentou uma oportunidade interessante para o Project Zero expandir suas pesquisas e investigar se (e como) intervenções educacionais poderiam apoiar a aprendizagem centrada no fazer - e quais os seus benefícios poderiam ser. O que a equipe de pesquisa da Agency by Design descobriu rapidamente foi que, enquanto o “fazer” na sala de aula não era um conceito novo, o “aprendizado centrado no fazer” sugeria um novo tipo de pedagogia mão na massa - uma pedagogia que instiga colaboração e engendra comunidade (a mentalidade do-it-together), ensino e aprendizagem partilhado, atravessamento de fronteiras e práticas docentes atentas e flexíveis.


Rotinas de Pensamento como ferramenta pedagógica


Uma das principais ferramentas do PZ, as Rotinas de Pensamento, oferecem elementos pedagógicos que justamente auxiliam a tornar visível o aprendizado para o próprio estudante e para os educadores. As Rotinas do Pensamento são estruturas simples, por exemplo, um conjunto de perguntas ou uma pequena sequência de etapas que podem ser usadas sozinhas ou com um grupo. Foram projetadas para serem fáceis de lembrar, práticas e instigam uma ampla gama de processos mentais. Elas são adequadas para alavancar o pensamento colaborativo e podem ser transferidas facilmente para qualquer contexto. As Rotinas de Pensamento convidam os alunos de qualquer idade a serem observadores atentos, a organizar suas ideias, a raciocinar cuidadosamente e a refletir sobre como estão dando sentido às coisas que estão ao seu redor e às coisas que fazem. As rotinas são flexíveis o suficiente para serem usadas para envolver os alunos na compreensão de um artefato, de um conceito ou de um sistema. As Rotinas de Pensamento podem, a princípio, parecer simples, mas é justamente sua simplicidade que as tornam fáceis de lembrar e de usar. Em vez de simplificar as idéias, as Rotinas de Pensamento oferecem maneiras diretas para apoiar os estudantes e suas investigações em contextos complexos.


Sensibilidade ao Design e Empoderamento por meio do Fazer


Através do curso on line Thinking and Learning in the Maker Centered Classroom (TLMCC) pudemos nos aproximar do conceito de Agency by Design e da respectiva abordagem, sintetizada em um “framework”, uma estrutura, além das Rotinas de Pensamento, que auxiliam os estudantes a se perceberem como sujeitos que integram sistemas complexos dos quais fazem parte e em que convivem diariamente. O grande objetivo da abordagem apresentada pelo Agency by Design é propiciar o desenvolvimento da sensibilidade ao design (Sensibility to Design) e do empoderamento por meio do engajamento mão na massa (Maker Empowerment). A sensibilidade ao design é entendida como a “disposição em aprender a perceber e a engajar-se com o ambiente físico e conceitual, observando e refletindo sobre o design de objetos e de sistemas, explorando a complexidade do design e encontrando a oportunidade de tornar objetos e sistemas mais eficazes, mais eficientes, mais éticos ou mais bonitos”. Já o empoderamento por meio do engajamento mão na massa é entendido como “uma sensibilidade às dimensões do design de objetos e de sistemas, junto com uma disponibilidade e uma capacidade de intervir na forma do seu próprio mundo, construindo, explorando, “re/designing”, ou “hackeando””.


'Agency', traduzido literalmente para o português, é agência. O que os pesquisadores do Agency by Design discutem é justamente os potenciais de experiências de aprendizagem centradas no fazer, direcionadas para o desenvolvimento dessa capacidade de agir com intencionalidade. Por meio das práticas “mão na massa”, os estudantes ganham condições para atuarem como agentes de transformação dos sistemas em que estão inseridos.


Mão na Massa - Aprendizagem Centradas no Fazer


No livro Maker-Centered Learning: Empowering Young People to Shape Their Worlds, (Tishman, S.; Clapp, E.; Ryan, J. e Ross, J.; Editora Jossey Bass, 2016) escrito pelos pesquisadores do Agency by Design e objeto de estudo no curso TLMCC, uma série de estudos de casos mostra como o aprendizado mão na massa acontece e pode instigar o desenvolvimento de agência nos estudantes. Os autores explicam que os estudantes precisam ter um olhar sensível para encontrarem oportunidades e se sentirem capazes de fazerem determinadas ações transformadoras. É preciso um momento de instrumentalização para que à medida em que consigam visualizar as oportunidades, sintam-se confiantes a agir. Desenvolver agência nos estudantes é desenvolver esse olhar para possíveis mudanças no cotidiano de cada um - para que possam torná-lo mais eficaz, mais eficiente, mais ético ou mais bonito - e ao mesmo tempo criar condições para que possam agir.


O livro documenta uma longa pesquisa em espaços formais e não formais de educação, nos Estados Unidos, que utilizam práticas mão na massa com esse propósito de instigar a sensibilidade ao design e o empoderamento por meio do fazer. Como resultado dessa pesquisa, sistematizaram a estrutura dessa abordagem em três momentos: Olhando de Perto; Explorando Complexidades e Encontrando Oportunidades e para cada uma delas desenvolveram Rotinas de Pensamento que, ao se tornarem hábitos em sala de aula, podem contribuir para o desenvolvimento dos objetivos das práticas mão na massa.


Rotinas de Pensamento em Ação


Entusiasmadas pelos resultados que estávamos vivenciando nas nossas oficinas do Projeto Pontapé (que realizamos por dois anos letivos em escolas estaduais na região de Pirituba, na cidade de São Paulo, junto a mais de 400 estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental) ao inserirmos as Rotinas de Pensamento nas nossas atividades, resolvemos estudar ainda mais essa proposta e fomos fazer o curso presencial Project Zero Classroom, um encontro anual na Faculdade de Educação de Harvard, Cambridge, EUA, que reúne educadores de diversos países engajados em transformar a educação.


Disseminando o Agency by Design no Brasil


Ao longo do Project Zero Classroom pudemos entrar em contato com os pesquisadores do Agency by Design Edward Clapp, Jessica Ross, Sarah Sheya, and Shari Tishman e conversamos sobre como poderíamos tornar acessível para mais educadores no Brasil essa pesquisa tão relevante que estão desenvolvendo. Concordamos em começar pelas 5 Rotinas de Pensamento do Agency by Design e ao voltarmos para o Brasil, traduzimos esse material relevante:


Partes, Propósitos, Complexidades

Partes, Pessoas, e Interações

Partes, Perspectivas, e Eu

Pense, Sinta, Se Importe

Imagine Se


Já estão todas disponíveis lá no site do Agency by Design, é só escolher a opção “Português”!


Estamos animadas com essa parceria que pode contribuir para desenvolver agência nos estudantes e instigar práticas de sala de aula mais significativas. Esperamos ter em breve mais novidades!


Fontes:

http://www.pz.harvard.edu/who-we-are/about

Maker-Centered Learning: Empowering Young People to Shape Their Worlds

PZ Thinking Routines

Agency by Design

www.catalisador.org.br



0 visualização